Doação de Sangue. Saiba como proceder

De acordo com o Ministério da Saúde, em matéria divulgada no portal G1, no ano de 2014, 3,7 milhões de bolsas de sangue foram coletadas, 200 mil a mais do que em 2013 ─ um aumento de 4,55%. Ainda segundo o Ministério, no mesmo período, as transfusões cresceram 6,8% (de 3 milhões em 2013 para 3,2 milhões em 2014).

Cerca de 1,8% da população brasileira entre 16 e 69 são doadores. A Organização das Nações Unidas, ONU, considera razoável uma taxa entre 3% a 5% da  população, o que ocorre no Japão, nos Estados Unidos e em outros países desenvolvidos.

No Brasil, há critérios que permitem ou que impedem uma doação de sangue, que são determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde, e visam à proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue. Confira abaixo os critérios e cuidados para ser um doador, segundo o estabelecido pelo Ministério da Saúde.

 

Orientações para doadores de sangue

Obrigações do doador

– Apresentar documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação) no momento da doação;

– Estar bem de saúde;

-Ter entre 16 (dos 16 até 18 anos incompletos, apenas com consentimento formal dos responsáveis) e 69 anos, 11 meses e 29 dias;

– Pesar mais de 50 Kg;

– Não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação.

 

Impedimentos temporários

– Febre;

– Gripe ou resfriado;

– Gravidez;

– Pós-parto: parto normal, 90 dias; cesariana, 180 dias;

– Uso de alguns medicamentos;

– Pessoas que adotaram comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis;

 

Cirurgias e prazos de impedimentos

– Extração dentária: 72 horas;

– Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: três meses;

– Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem sequelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses;

– Ingestão de bebida alcoólica no dia da doação;

– Transfusão de sangue: 1 ano;

– Tatuagem: 1 ano;

– Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina.

 

Impedimentos definitivos

– Hepatite após os 10 anos de idade;

– Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas;

– Uso de drogas ilícitas injetáveis;

– Malária.

 

Intervalos para doação

– Homens: 60 dias (até 4 doações por ano)

– Mulheres: 90 dias (até 3 doações por ano)

 

Fonte: http://g1.globo.com/, www.inca.gov.br/